Até quando o ECA vai impedir que pais saibam quem oferece risco a vida de seus filhos?

O ECA, Estatuto da Criança e do Adolescente, que deveria ser um mecanismo para a proteção de crianças e adolescentes em situação de abandono e risco, hoje é uma “carta branca” ou um “salvo conduto” para a proteção da criminalidade infanto juvenil.

O estatuto tem “passado a mão na cabeça” de crianças e adolescentes que cometem crimes de “gente grande”, não deixando a sociedade nem mesmo saber quem são, colocando em risco toda uma população, que acaba andando de “olhos vendados”, a mercê de seus algozes, que por serem menores de 18 anos não podem ter suas identidades reveladas.

Existe a proteção para os menores que praticam os crimes, mas para suas vítimas só resta rezar para não se depararem com eles novamente, coisa não muito difícil de ocorrer, visto que acabam sendo liberados de sua “apreensão”, na grande maioria das vezes, até mesmo antes das vítimas saírem da Delegacia.

Enquanto a sociedade brasileira não lutar para que os crimes sejam punidos de acordo com sua gravidade, e não pela idade do autor, seremos reféns do medo e da insegurança, caso das crianças, adolescentes, professores e funcionários da Escola Valério, que na tarde de ontem quase foram incinerados por três “menores infratores” protegidos ferrenhamente pelo ECA.

Algum comentário?