Chuva ajuda a controlar focos de queimada no Pantanal

Chuva que caiu na região do Pantanal de Corumbá, entre a noite de ontem e a madrugada de ontem (27), contribuiu para reduzir o número de focos de calor no Município, que teve registros de incêndios florestais nos últimos dias.

De acordo com informações do Governo do Estado, a queimada mais intensa foi na região do Porto da Manga, no Pantanal da Nhecolândia, e foi controlada pela brigada do PrevFogo do Ibama e o Corpo de Bombeiros, com a contribuição da garoa que caiu na madrugada.

Conforme o gerente estadual do PrevFogo, Bruno Águeda, foi feito um trabalho de mais de quatro dias para o combate as chamas e equipes trabalhavam no rescaldo, quando a chuva caiu e contribuiu para que os focos perdessem força.

“Choveu pouco, mas praticamente em todo o Pantanal”, disse Luciano Leite, presidente do Sindicato Rural de Corumbá

INCÊNDIO FLORESTAL

O Porto da Manga fica situado na MS-228, rodovia que integra a Estrada-Parque do Pantanal, juntamente com a MS-184. O fogo se alastrou por toda a planície, entre a morraria do Urucum e o Rio Paraguai, de um lado, e a Estrada-Parque e a BR-262, do outro.

Foram queimados cerca de 1.600 hectares, segundo laudo pericial do Ibama. As causas estão sendo apuradas pelo órgão federal.

A preocupação era que o fogo chegasse até a comunidade ribeirinha, onde residem cerca de 200 pessoas, que vivem da pesca. O fogo chegou a cerca de 100 metros do vilarejo e os moradores conseguiram o apoio de maquinários de uma empreiteira para limpar a área em torno das casas de madeira construídas sobre palafitas.

No último dia de combate do fogo na Manga o Ibama contou também com o apoio logístico do Exército.

Por GLAUCEA VACCARI

Foto: Edemir Rodrigues

CORREIO DO ESTADO

Algum comentário?