Deputado que decidiu impeachment aparece em planilha da Odebrecht

O deputado Bruno Araújo (PSDB-PE) deu o 342º voto pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados neste domingo (17). Em seu discurso, o deputado disse: “Quanta honra o destino me reservou de poder, da minha voz, sair o grito da esperança de milhões de brasileiros. Pernambuco nunca faltou ao Brasil, carrego comigo nossas histórias de luta pela liberdade e pela democracia. Por isso, vivo ao Brasil, sim, pelo futuro”.

Capturar

De acordo com o ‘Estadão’, o deputado foi citado na planilha de pagamentos feitos pela Odebrecht que foi divulgada em março deste ano, após uma busca e apreensão feita por agentes da Polícia Federal pela Lava Jato. Somente nessa planilha são R$ 210.000,00.
As empresas Queiroz Galvão e Norberto Odebrecht são investigadas no esquema do propinoduto da Petrobras no Consórcio Refinaria Abreu e Lima em Pernambuco, estado de origem do Deputado. O consórcio é formado pela (Camargo Corrêa,. Galvão Engenharia, Queiroz Galvão e Norberto Odebrecht).

A Refinaria Abreu e Lima pode deixar um rombo de US$ 3,2 bilhões. O doleiro Alberto Youssef afirmou, em depoimentos na Operação Lava Jato, da Polícia Federal, que integrantes do PSDB, PP e PSB receberam propinas em contratos da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco.

De acordo com Youssef, teriam recebido subornos o senador Ciro Nogueira (PP-PI),o deputado federal Eduardo da Fonte (PP-PE), o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB), morto em agosto de 2014, e o ex-presidente do PSDB Sérgio Guerra, morto em março de 2014. Com a morte de Sérgio Guerra, quem assumiu o posto de autoridade máxima do PSDB em Pernambuco é justamente o Deputado Bruno Araújo, membro da bancada ruralista.

Algum comentário?