Espetáculo de luzes com alta tecnologia marca abertura da olimpíada de profissões técnicas na Rússia

Um espetáculo de alta tecnologia, com luzes, música e dança, marcou, nesta quinta-feira (22), o início oficial da 45ª edição da WorldSkills, a olimpíada mundial de profissões técnicas, realizada na cidade russa de Kazan. Com a presença do primeiro-ministro, Dmitri Medvedev, que declarou aberto o torneio, a Rússia demonstrou a importância da educação profissional em meio à quarta revolução industrial.

“Mais do que uma competição, a WorldSkills mostra como a educação profissional é importante na Rússia não apenas para os jovens, como para pessoas de todas as idades”, afirmou o primeiro-ministro. A Rússia aderiu apenas neste século à WorldSkills, organização internacional que existe desde os anos 1950 destinada a promover e estimular a educação profissional.

O grandioso evento é apenas um reflexo do investimento feito pelos russos na área, que inclui uma reforma educacional nas 85 regiões autônomas do país. Além de Medvedev, participaram da cerimônia o presidente da República do Tatarstão, região onde está a cidade-sede, Rustam Minnikhanov; e o prefeito de Kazan, Ilsur Metshin.

Na sua fala de incentivo aos mais de 1.300 competidores de 63 países, o presidente da WorldSkills, Simon Bartley, também reforçou o papel transformador da educação profissional em um momento de incertezas políticas e econômicas ao redor do mundo. “Ter qualificação muda vidas, transforma sociedades e economias, assim como traz prosperidade e estabilidade”, defendeu.

No show de abertura, os russos mostraram como a tecnologia pode ser usada para melhorar a qualidade de vida. Levou ao palco pessoas com deficiência física que conseguiram dar passos graças a um exoesqueleto, estrutura que dá suporte aos músculos. Exibiu também um robô humanoide no tamanho de pessoa adulta interagindo com anfitriões da festa.

A cerimônia também teve a volta olímpica das delegações dos países participantes. A equipe do Brasil, uma das maiores do torneio, com 63 integrantes, foi a mais aplaudida. Com a bandeira verde e amarela à frente, os brasileiros fizeram vibrar a plateia da Arena Kazan.

INTERAÇÃO – No início do dia, os competidores tiveram outro compromisso importante. Foram recebidos com uma animada e calorosa recepção de estudantes e professores da Escola 113, instituição pública de Kazan, que abriga 700 alunos de seis a 17 anos. Crianças em trajes típicos exibiram danças tradicionais do Tatarstão e adolescentes cantaram músicas russas de sucesso.

Em um tour pela limpa e bem equipada escola, os jovens brasileiros também conheceram as atividades esportivas e culturais praticadas pelos alunos russos. Jogaram basquete, ping pong e acompanharam uma aula de judô. Fizeram trabalhos manuais, como a confecção do chapéu tradicional típico da região e pinturas da tulipa, símbolo da cidade de Kazan. Conheceram ainda, por meio de um jogral, a história do herói da cidade, o militar Akhmetshin Marat.

Os brasileiros retribuíram cantando canções clássicas do Brasil, como Garota de Ipanema. A recepção virou uma festa ao som de Brasileirinho tocado no cavaquinho. Os competidores Edmilson Silva Souza Neto, de Mecatrônica, e Gabriele Raiser, do Vitrinismo, aprenderam a pronúncia do russo para ler uma mensagem de motivação e carinho aos estudantes. “Tentamos trazer uma mensagem de agradecimento, de incentivo para que continuem realizando o melhor trabalho a que se propuserem”, conta Edmilson.

“Foi muito mágica a visita porque vimos a dimensão de como é a educação em outro país e também outras culturas, foi muito bacana a forma como eles acolheram a gente”, relata Gustavo Felipe Almeida Carlos, do Rio Grande do Norte, competidor da área de Serviço de Restaurante. “Eu me senti em casa, eles nos receberam de uma forma única, especial demais.”

A COMPETIÇÃO – A WorldSkills é a maior competição de educação profissional do planeta. A cada dois anos, jovens de até 22 anos disputam medalhas de ouro, prata e bronze em provas que reproduzem o dia a dia das profissões. O Brasil terá representantes em todas as 56 modalidades em disputa nesta edição.

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) treinou 56 participantes e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) orientou outros sete. A delegação verde e amarela é uma das favoritas.  Os brasileiros ficaram em 1º lugar no pódio em 2015, quando a competição ocorreu em São Paulo e, na última edição, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, conquistou o 2º lugar.

COBERTURA COMPLETA – Acompanhe a cobertura completa da WorldSkills 2019 aqui na Agência CNI de Notícias, no perfil do SENAI no FacebookTwitter e Instagram. Todas as fotos estarão disponíveis no Flickr da CNI.

Algum comentário?