ESTUPRADOR EM SÉRIE: Maníaco sexual já fez seis vítimas, diz polícia

Detento do semiaberto, José Maria Rodrigues Pereira, de 41 anos, preso por estuprar duas irmãs, de 13 e 16 anos, e fez uma das vítimas filmar o crime, é considerado hoje pela Polícia Civil um estuprador em série por ter feito seis vítimas em Mato Grosso do Sul. Isso porque após ser preso no último dia 13, sexta-feira, pela Guarda Municipal, veio à tona pelo menos mais duas vítimas entre 2008 à 2010.

Há também outro registro de abuso contra uma mulher em Cassilândia, onde também teria furtado da vítima cerca de R$ 30 mil.  José já havia sido preso por estupro em 1998 e atualmente estava cumprindo pena também por roubo- ação que era realizada por ele sempre após violentar as vítimas. 

Em entrevista coletiva à imprensa na manhã desta terça-feira (17), a delegada Anne Karine Trevisan, da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca) confirmou que José teria feito duas vítimas no passado aqui mesmo em Campo Grande. “Foram fatos que aconteceram a bastante tempo atrás, hoje elas são maiores, mas elas eram adolescentes na época quando foram abusadas. Isso que a gente tem conhecimento, não acredito que seja apenas isso,  as vítimas tinham medo de registrar boletim de ocorrência por conta da agressividade, ele sabiam onde elas moravam, então elas tinham medo de ele fazer algo contra a família”, disse. 

A delegada destacou que a divulgação da prisão de José Maria encorajou as vítimas, porém apenas uma delas registrou queixa contra o suspeito, a segunda vítima ainda não se pronunciou na polícia. “Foi através da divulgação que surgiram as queixas, se tiver outras pessoas que identifique ele, através da divulgação, reconheça a foto, procurem a delegacia para registrar boletim de ocorrência”, disse. 

DEPOIMENTO
Sobre o depoimento, José Maria confessou que estuprou a adolescente de 16 anos, no último dia 5 de setembro quando invadiu a residência no Jardim Colorado e furtou os objetos. No entanto, ele nega ter abusado da adolescente de 13 anos, agredido o bebê e filmado a ação com celular da vítima.

Ainda de acordo com Anne, ele roubou vários objetos da casa que foram encontrados na residência onde ele morava com a esposa. Foi levado da residência um estetoscópio, aparelho de aferir pressão e celulares das vítimas, incluindo o usado para gravação do crime. “Ele fala que os celulares que ele roubou, levou para um matagal, que quando saiu do semiaberto no domingo, pegou os celulares e trocou por droga, ele não indica com precisão com quem fez a troca, mas disse apenas que foi no bairro Nhanhá”, explicou a delegada. 

ENTENDA O CASO
No dia do crime, o suspeito entrou no quintal da casa e ficou escondido. Ele aguardou que a mãe saísse da residência e, no momento que a adolescente de 16 anos foi para o fundo do quintal, ele a rendeu. Além dela, estavam na casa a outra adolescente, de 13 anos, e o bebê.

O homem pegou facas da própria residência para ameaçar as vítimas e usou cordas retiradas de uma rede para amarrá-las. Com as vítimas já amarradas, ele inicialmente comeu bolo e tomou leite que estavam na geladeira e, depois, encontrou uma caixa de luvas que pertencia à técnica de enfermagem e calçou um par, na tentativa de encobrir digitais.

A adolescente de 16 anos foi estuprada, enquanto a irmã foi obrigada a filmar o ato. Depois, ele também abusou sexualmente da de 13 anos, com a prática de atos libidinosos. As irmãs foram deixadas amarradas e, antes de sair da casa, ele roubou os objetos saiu e jogou a chave de volta para dentro do quintal, ordenando que as vítimas contassem até 200 antes de tentarem se desamarrar.

PRESO
Ele foi detido por Guardas Municipais em Campo Grande no dia 13 de setembro, tentou resistir e foi levado para a Delegacia Especializada de Proteção à Criança e o Adolescente (Depca) onde prestou depoimento. Atualmente ele está preso na Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) onde aguarda os próximos passos da justiça. 

Por BRUNA AQUINO

Foto: Bruno Henrique/Correio do Estado

CORREIO DO ESTADO

Algum comentário?