PRISÃO EM SEGUNDA INSTÂNCIA: Claro Dino “clama a STF para que não ouça o clamor popular”

Na quinta-feira (17), data do começo do julgamento, pelo STF, sobre a mudança ou não da prisão em segunda instância, o Deputado Estadual Gerson Claro Dino, do PP, usou a tribuna da ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO MATO GROSSO DO SUL para se manifestar a favor da mudança de entendimento por parte do STF.

“Subo à tribuna para fazer um clamor na defesa da Carta Magna para este julgamento e que o STF começa a partir de hoje. E que os ministros não ouçam o clamor popular ou interesses de partidos e pessoas. Temos que evitar o estrabismo republicano, confundindo pessoas com instituições, pois as pessoas passam, mas as instituições não”, afirmou Dino.

Seu discurso vem em completo desencontro com a defesa da sociedade que clama por justiça, principalmente para a punição de criminosos do colarinho branco, os mais prejudicados com a prisão em segunda instância, pois por ocuparem funções públicas, com acesso ao erário público, sempre  constituíram ricas defesas e rolaram processos intermináveis, sempre concorrendo e vencendo eleições sem que respondam pelos crimes praticados contra essa sociedade que clama por justiça.

Lembrando que o Deputado Gerson Claro Dino é denunciado, pelo MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL, por irregularidades no trato do dinheiro público, principalmente no período em que esteve à frente do DETRAN/MS.

O discurso do Deputado Dino não clama pela defesa da CONSTITUIÇÃO FEDERAL e sim pela defesa de seus próprios interesses.

Se o Supremo modificar o entendimento, de prisão após condenação em segunda instância, muitos criminosos do colarinho branco serão beneficiados, devolvidos às ruas e até indenizados, um verdadeiro retrocesso para um País que busca se livrar do título de “PARAÍSO DA CORRUPÇÃO”.

 

Foto: Luciana Nassar – ALMS

Algum comentário?