Brasil busca manter hegemonia no Sul-Americano de Lima

O 51º Campeonato Sul-Americano de Atletismo, que será disputado desta sexta-feira (23/5) a domingo (25/5), no novo Estádio de La Videna, em Lima, no Peru, o Brasil tenta manter uma hegemonia de mais de quatro décadas. Para isso, conta com uma delegação forte. Entre os destaques está o catarinense Rodrigo Nascimento, integrante da equipe de revezamento 4×100 m, campeã do Mundial de Yokohama, no Japão, no dia 12/5.

Rodrigo disputará os 100 m e o revezamento 4×100 m. “Estou animado e o objetivo é lutar por uma medalha nas duas provas”, comentou o velocista, que participou de uma série de homenagens em Brasília em comemoração pelo título mundial no Japão no início desta semana. “Mesmo com um grupo novo no revezamento, vamos brigar por bom resultado”, disse o atleta, que correrá ao lado de Gabriel Constantino, Felipe Bardi dos Santos e Erik Felipe Cardoso.

Muitos outros brasileiros que competirão na pista e no campo da Vila Desportiva Nacional (Videna), que será a sede do torneio do atletismo dos Jogos Pan-Americanos, a serem disputados de 26 de julho a 11 de agosto, são destacados pelos organizadores do evento, como Thiago Braz, campeão olímpico do salto com vara, e os recordistas sul-americanos Darlan Romani (arremesso do peso), Gabriel Constantino (110 m com barreiras), Wagner Domingos, o Montanha (lançamento do martelo) e Andressa de Morais (lançamento do disco). No total, a Seleção conta com uma equipe de 60 atletas na capital peruana, sendo 29 no masculino e 31 no feminino.

O programa horário da competição, que terá cinco etapas, só seria confirmado no Congresso Técnico do Campeonato, marcado para as 18 horas locais (20 horas de Brasília) desta quinta-feira (23/5). Os organizadores confirmaram participação de representantes dos 13 países da América do Sul.

Das 50 edições, completadas em Assunção, em 2017, o Brasil venceu 31 no masculino, sendo as últimas 23 consecutivas. No feminino, foram realizadas 39 competições na história, sendo que a Seleção também ganhou 31 – a 24ª conquista consecutiva no Paraguai.

O Sul-Americano de Atletismo é a mais antiga competição de área da IAAF. A primeira edição foi realizada em 1919, em Montevidéu, no Uruguai, um ano após a fundação da Confederação Sul-Americana.

Elisangela Maria Adriano e Robson Caetano são os maiores ganhadores de medalhas na história da competição. Elisangela tem 15 ouros no arremesso do peso e no lançamento do disco. Já Robson tem 14 (10 individuais nos 100 m e 200 m e quatro no revezamento 4×100 m).

Por Assessoria de Comunicação da CBAt

Foto Wagner Carmo/CBAt

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE ATLETISMO

Algum comentário?