De olho nas próximas competições, Ginástica Artística encerra treinamentos no Rio de Janeiro

Foi concluído no último dia 15 mais um estágio de treinamentos na temporada 2019 da Ginástica Artística. Durante dez dias, 23 ginastas convidados pela CBG (Confederação Brasileira de Ginástica) participaram deste estágio, entre eles alguns dos principais nomes da modalidade no Brasil, como Arthur Zanetti, Arthur Nory, Francisco Barreto Júnior, Jade Barbosa, Flavia Saraiva, Rebeca Andrade, Thais Fidelis e Lorrane Oliveira.

Um dos principais objetivos nesta nova temporada de treinamentos foi ajustar detalhes nas séries dos atletas, visando a participação na próxima competição internacional, o Campeonato Sul-Americano, marcado para acontecer em Santiago (CHI), entre 18 e 23 de junho. Antes disso, haverá a realização do Campeonato Brasileiro de clubes, entre 4 e 9 de junho, também no Rio. Estas duas competições irão definir as respectivas equipes para os Jogos Pan-Americanos de Lima-2019, no final de julho.

“Todos os estágios trazem uma evolução para a equipe. Fizemos um trabalho muito forte. O fato deles treinarem em conjunto dentro do CT Time Brasil sempre trará crescimento para a equipe. Nesta segunda semana, senti que eles tiveram uma evolução muito grande. Agora, eles retornarão a seus clubes e pedimos que continuem o trabalho que foi feito até aqui”, afirmou Marcos Goto, treinador da Seleção Brasileira Masculina.

Para Francisco Porath Neto, um dos técnicos da Seleção Brasileira Feminina, o estágio foi fundamental para que fossem ajustados detalhes importantes nesta fase de preparação para o Pan de Lima e para o Campeonato Mundial de Stuttgart, em setembro. “Agora é a hora do detalhe. Temos que ajustar as séries neste momento. Teremos o Brasileiro aqui no Rio, daqui a três semanas, e que também servirá como avaliação. Assim, já teremos definido o que cada uma irá fazer, o papel e responsabilidade dentro da Seleção até o Pan-Americano e Mundial”, afirmou o treinador.

Arthur Zanetti, campeão olímpico em Londres-2012 e prata na Rio 2016 nas argolas, fez um balanço positivo do estágio de treinamento. “Foram dez dias muito produtivos, com muitas avaliações, treinos e troca de ideias com a comissão técnica. Eles nos passaram os pontos em que precisamos evoluir e sempre é muito bom treinar aqui”, disse Zanetti.

A ginasta mais experiente da Seleção Feminina, Jade Barbosa, disse que esse período é intenso, porém muito produtivo.

“Estes estágios normalmente são sempre muito duros. Tentamos aproveitar o máximo dos treinadores e da estrutura deste CT, que as meninas muitas vezes não têm nos clubes. É um treinamento para analisar tudo o que cada menina precisa, onde tem que melhorar etc. Fico muito satisfeita de a gente ter essa oportunidade. Poucas modalidades têm isso, o que mostra a evolução da Ginástica brasileira. O resultado na Alemanha [medalha de ouro por equipe na DTB Pokal Cup, em março] mostra que estamos no caminho certo”, afirmou Jade.

Confederação Brasileira de Ginástica

Algum comentário?