Mesmo com dias secos, casos de dengue continuam a subir

Os casos confirmados e notificados de dengue continuam a subir em Mato Grosso do Sul, mesmo diante de dias secos. É o que mostra o levantamento do boletim epidemiológico da SES (Secretaria de Estado de Saúde) divulgado nesta quarta-feira (18). Dos 79 municípios do Estado, 74 se encontram em estado de alta incidência da doença.

O balanço é divulgado semanalmente. Nas análise dos dados até o dia 11 de setembro, o número de casos notificados no Estado alcançou 54.614. Já na análise dos dados até esta quarta-feira (18), este total passou para 55.107, ou seja, aumento de 493.

O número de casos confirmados, passou de 31.465 (levantamento até 11/09) para 31.814 (levantamento até 18/09). Neste comparativo, foram 349 novos.

O mosquito Aedes aegypti transmissor da doença, se reproduz em recipientes com água parada. As chuvas estão escassas em todo Estado. Em Dourados, o Guia Clima Embrapa mostra que a mais recente chuva expressiva ocorreu no dia 1 de setembro, com 7.1 mm.

Conforme já mostrado pelo Dourados News, o aumento de vítimas da dengue mesmo em circunstâncias não tão agradáveis ao transmissor, se dá pelo fato de o mosquito ter criado mais resistência a várias situações climáticas.

Outro ponto, é que muitas confirmações da doença referentes aos meses de fevereiro, março e abril que estão se concretizando apenas agora. Isso acontece, conforme o CCZ  por conta da demora do Ministério da Saúde em enviar para o Estado e o município, materiais que permitam os procedimentos (confirmações).

Campo Grande registra o maior número de casos confirmados da doença com 15.400. Dourados tem 2.771 casos. Em Três Lagoas, o registro chega a 3.491. Ponta Porã registra 1.024.

Em todo o Mato Grosso do Sul, a dengue já fez 26 vítimas fatais. Destas, oito foram registradas em Campo Grande, sete em Dourados, três em Três Lagoas, duas em Coxim, e Maracajú, Ponta Porã, Corumbá, Costa Rica, Amambai, Miranda registram uma vítima fatal cada.

Vacina em teste

O Ministério da Saúde divulgou nesta terça-feira (17) que a vacina contra a dengue produzida pelo Insituto Butantan, já está na última fase de testes. Ainda conforme o órgão, a dengue apresentou aumento de 599,5% no número de casos, em 2019, na comparação com 2018. 

Ao final da terceira fase de produção do imunobiológico, o Instituto Butantan precisa comprovar a eficácia por meio de estudo que deverá trazer os dados de segurança e índices finais de proteção da vacina. Após esse processo, será solicitado o registro da vacina na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) para que possa ser incorporada ao Sistema Único de Saúde (SUS) e ofertada gratuitamente pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI). Não é só a parte clínica que é levada em consideração, mas os dados de produção, de controle de qualidade e tudo o que foi feito durante o processo.

Por Gizele Almeida

Foto DIVULGAÇÃO

DOURADOS NEWS

Algum comentário?