Polícia apreende 3,6 t de maconha em bunker de quadrilha na Capital

Uma quadrilha, que traficava maconha para vários estados do Brasil, mantinha um ‘bunker’ na Vila América, em Campo Grande, onde a Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros (Garras), apreendeu 3,6 toneladas de maconha, além de vários veículos.

Conforme informações do delegado Fábio Peró, um dos responsáveis pelas investigações, caminhonetes eram roubados e trazidas para Mato Grosso do Sul, sendo adaptadas no depósito. “Eles retiravam os bancos traseiros e usavam sacos de areia para equilibrar a suspensão do veículo e passar despercebidos pela fiscalização e também trocavam a placa para cidades do Estado”, disse.

Há três meses investigando a quadrilha, a suspeita inicial era que se tratava de um esquema de tráfico de armas, mas foi descoberto o contrabando de maconha. Segundo o delegado João Paulo Sartori, também responsável pelas investigações, a droga saia em carregamentos de grãos para vários estados.

“Nesse galpão eram produzidos caixas de madeira, as quais eram inseridos a droga e embarcadas em caminhões carregados com milho e soja e iam para os mais diversos estados da federação”, explicou Sartori.

No esquema, duas caminhonetes iam por vez até o Paraguai, onde uma ficava como parte do pagamento e a outra era carregada com a maconha. “Com esse esquema de adaptar; tirar os bancos; eles conseguiam transportam mais de uma tonelada em cada viagem”, contou Peró.

Na madrugada de sexta-feira (17), Sérgio Rodrigues da Costa e Gilberto Melo Martins, ambos de 40 anos, esperavam, em um posto de gasolina no Bairro Maria Aparecida Pedrossian, Laudimar de Oliveira, de 42 anos, e Giovane Fernando Raymundo, de 26, que estavam fazendo o transporte da droga em duas caminhonetes.

Laudimar e Giovane foram parados pela equipe do Garras na BR-262, já na região da Capital, quando foi descoberto que a dupla de traficantes esperava no posto. Os quatro foram presos em flagrante responderão por associação ao tráfico, receptação e tráfico de drogas.

Além da droga, no depósito foram encontradas mais três caminhonetes roubadas que seriam usadas para transporte da maconha. Na casa de Sérgio, uma residência de luxo, foram apreendidos mais duas caminhonetes próprias e uma moto esportiva, e na casa de Gilberto, duas motos e um veículo Volkswagen Golf.

Em uma empresa de guincho, onde os dois eram sócios, um caminhão prancha e caminhonete F250 foram apreendidas. “Ele agem há bastante tempo pelo patrimônio que eles tem já que foram apreendidos vários veículos de luxo e residências de alto valor”, disse Sartori

As investigações caminham para descobrir se há algum mandante ou mais pessoas ligadas à quadrilha.

Por FÁBIO ORUÊ

Foto: Fábio Oruê / Correio do Estado

CORREIO DO ESTADO

Algum comentário?